Seguro vida na pandemia

O boom no mercado do seguro de vida

O seguro de vida é extremamente comum em países desenvolvidos como os Estados Unidos, onde 60% da população possui apólices dessa natureza. No Brasil esse índice é de apenas 12%, número que começa a crescer sistematicamente já há alguns anos, principalmente após o início da pandemia em 2020, que provocou uma elevação na contratação desse seguro.

Segundo dados da Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), a arrecadação com essa apólice cresceu 16,31% de janeiro a julho de 2021 comparado ao mesmo período de 2020.

Para Aline Motta, especialista em Benefícios da Inter, o crescimento dos números têm motivos bastante definidos. “Demonstra o quanto as pessoas realmente estiveram mais preocupadas em se proteger financeiramente desde o início da crise sanitária”, avalia.

Já o seguro de pessoas, que engloba o seguro vida individual e em grupo, renda de eventos aleatórios e acidentes pessoas individuais e coletivos, movimentaram mais de R$ 52 bilhões em 2021.

Maior procura de jovens

O segmento de seguros de vida cresceu em todo o país, incluindo todas as faixas etárias, mas o que chama mais atenção são os consumidores entre 30 e 45 anos, um público considerado jovem para esse tipo de apólice.

Sobre essa mudança de perfil, Aline destaca a relação com novos hábitos de vida. “Os seguradores ressaltam que quanto mais cedo a pessoa contratar um seguro e, se tiver um estilo de vida com menor exposição a riscos, menor será o valor assumido pela seguradora contratada. E, consequentemente a mensalidade também tende a ser menor”.

Embora pandemias e epidemias sejam riscos excluídos da apólice, as seguradoras resolveram indenizar mortes por Covid-19 devido impacto social envolvido.

3 motivos para contratar o seguro

  • Você não deve contratar um seguro de vida pensando em morte. Contrate pensando em vida: na vida de seus filhos, cônjuge e demais entes queridos. A mais conhecida razão para se ter uma apólice é assegurar uma indenização aos beneficiários em caso de morte do segurado.
  • Quem contrata essa apólice garante, ao menos, que seus familiares não terão que se preocupar com questões logísticas e financeiras em caso de sinistro. A morte é um momento de extrema sensibilidade, no entanto, as despesas continuam e é preciso que estejam devidamente protegidos nesses capítulos inesperados.
  • A resistência ao produto vida se dava por aspectos culturais e uma ideia equivocada de que não se poderia usufruir do benefício em vida. Porém, essa apólice também garante indenização em caso de invalidez total ou parcial causada por acidente, substituindo sua renda durante um determinado período. Incapacidade temporária e diagnóstico de doenças graves são outras coberturas que podem ser adicionadas à apólice.

[activecampaign form=3 css=1]