Inter patrocina restauração de veleiro clássico bicampeão mundial

Veleiro Osprey VII

A Inter Risk Services é patrocinadora oficial do projeto de restauração do veleiro Osprey VII. O barco icônico da vela brasileira foi utilizado pelos gêmeos Axel e Erik Schmidt, tios do Torben e Lars Grael, na conquista dos títulos mundiais de 1963 e 1965.

O condutor do projeto é o niteroiense Douglas Gomm, velejador e campeão mundial Júnior da classe Snipe em 2013. A embarcação encontrava-se em estado de deterioração num clube em Santos (SP) quando foi descoberta e adquirida por Douglas, que não pensou duas vezes. “Quando vi o barco e fiquei sabendo da história, soube na hora que ele era o meu barco. Não importava o tamanho do desafio, mas o Osprey voltaria a correr regatas”, contou com entusiasmo o navegador.

Veleiro Osprey

Além da rica e vitoriosa história do veleiro, um outro fator foi determinante para aquisição do barco por Douglas. “Por ter pertencido aos meus ídolos na vela, Axel e Erik, percursores da modalidade no pais, sendo da classe onde eu também ganhei um mundial. Esse barco é muito importante pra mim, trato ele com todo o carinho, quase como se fosse um parente”.

João Barbará, COO e VP de Marine da Inter, compartilhou sua felicidade em poder ajudar com o resgate de memória de um veleiro que contribuiu para o desenvolvimento do esporte marítimo no país. “Somos apaixonados pelo mar e nos destacamos no gerenciamento de riscos marítimos há décadas. Poder de alguma forma apoiar o resgate da memória e a devolução às águas de uma embarcação histórica como o Osprey nos enche de orgulho”.

A embarcação

O Brasil passou a ser reconhecido mundialmente na categoria Snipe com o veleiro Osprey, lá na década de 1960. Ele é um barco da classe Snipe, numeral 12748, construído inteiramente em madeira também em 1960, no Rio de Janeiro. Com ele, Erik e seu irmão gêmeo Axel ganharam os mundiais de 1963 e 1965 e, junto com a conquista do mundial de 1961, se tornaram os primeiros tricampeões mundiais do Brasil. Esse barco é um dos três únicos que ganharam dois mundiais, nos 90 anos de disputa da classe, sendo entretanto, o mais antigo entre os três.

Modernização

O projeto foi de uma reforma completa do veleiro, colocando-o “no osso” do casco, reparando todos os problemas existentes e implementando um layout que harmonize entre o clássico e o moderno, o que possibilitará ao barco competir de igual para igual com outras embarcações. “Vamos manter a pintura original do barco de 1965 após voltar do mundial, manter todas as características dele que são comuns aos barcos modernos ou que não interferem no seu desempenho. Vamos utilizar uma mastreação moderna, e o que há de mais moderno em ferragens e cabos com a mais moderna tecnologia”, detalhou Douglas.

Modernização do veleiro Osprey VII

Os últimos detalhes de marcenaria estão sendo finalizados  e a próxima etapa é a fase de pintura. Depois disso, a última etapa do projeto de reforma será a remontagem do barco, fase que contará com a ilustre participação de Erik Schmidt.

[activecampaign form=3 css=1]