Seguros D&O e E&O somam mais de 1 bilhão em prêmios

Seguro E&O

O D&O e o E&O são seguros que estão cada vez mais populares no mercado brasileiro. Essas apólices são extremamente atrativas para empresas, das mais variadas áreas, já que garantem uma maior segurança para a tomada de grandes decisões – e responsabilidades – peculiares aos profissionais de cada setor. Mas, apesar de algumas semelhanças, esses dois produtos têm propósitos e coberturas diferentes, o que pode gerar certa confusão na hora da contratação.

 

D&O e E&O: qual a diferença?

Directors and Officers, ou simplesmente D&O, é um produto criado para profissionais que têm cargo gestão e tomada de decisão nas empresas. Ele tem como objetivo proteger o patrimônio pessoal desses executivos por atos de gestão em que gere uma demanda judicial, acordos e até indenizações. Embora a contratação desse seguro seja realizada pela empresa, o beneficiário é o colaborador. 

Já o E&O, também chamado de Responsabilidade Civil Profissional, é um seguro que tem como objetivo proteger a empresa de possíveis danos e prejuízos causados por falha no exercício do seus colaborador. Em outras palavras, garante maior tranquilidade no dia a dia para empresas principalmente das seguintes atividades: engenharia, arquitetura, advocacia, hospitais, corretoras de seguros, entre outros. 

Esses dois produtos são exemplos de seguros que aumentaram a procura e adesão no cenário pós-pandemia, e um indicador dessa alta são os  valores de prêmios arrecadados nos primeiros oito meses do ano. O D&O, com R$ 750 milhões, e o E&O, com R$ 386 milhões em prêmios, apresentaram crescimento de 140,5% e 74,3%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2019, último ano antes da pandemia.

Antonio Pessoa, Gerente de Professional Lines e especialista em seguros D&O e E&O na Inter, fez sua análise sobre a performance desses dois seguros no mercado e alertou para uma correta interpretação desses números. Para Antonio, existem outros fatores que explicam o aumento da arrecadação do prêmio. ” De modo geral, os executivos de corporações brasileiras estão evoluindo seus entendimentos sobre o nível de risco pessoal ao qual o corpo diretivo está sujeito durante sua atuação na empresa. Em vista disto, ao longo dos últimos anos o seguro de D&O ganhou notoriedade por ser uma modalidade com grande amplitude de proteção ao patrimônio pessoal, passando a ser visto por executivos como um benefício, e muitas vezes, até como condição necessária para assinatura de contratos de trabalho. No entanto, o aumento dos prêmios pode ser explicado também pelo hard market, onde as taxas ficam mais altas por um reflexo da sinistralidade.”

 

[activecampaign form=3 css=1]